Friozinho bom para sopas e vinhos!

O frio chegou para ficar! E com ele milhares de motivos para tomar aquele vinho delicioso ao lado de pessoas especiais. Esse fim de semana não foi diferente.  Fomos ao tradicional Festival de Sopas do CEAGESP. Fazia um tempo que estávamos ensaiando para conhecer os festivais de lá, mas só agora tivemos a oportunidade.

O local é famoso por sua sopa de cebola, que era servida para as pessoas que trabalhavam no local na década de 1970. Esse formato consagrado de Festival, entretanto, só teve início em 2009, e permanece até hoje. Bom para nós, rs!

Para começar, cheguem cedo! Essa era a dica que lemos em todos os posts relacionados ao evento. O festival começa às 18h. Nós chegamos às 19h e já enfrentamos uma espera de uns 20 minutos. Já ouvi relatos de pessoas que ficaram mais de 2 horas na fila. Então, levem essa dica a sério.

Na entrada, eles têm uma mesa de antepastos, o que torna a espera um pouco mais agradável. Há também uma mesa onde apresentam a carta de vinhos da casa. Ali você pode provar alguns vinhos nacionais. Os vinhos internacionais não são oferecidos em degustação. Os vinhos têm um preço bem justo. Além dos nacionais, têm alguns italianos, portugueses, chilenos, argentinos, sul-africanos. Descobrimos também que você pode levar sua própria garrafa, se preferir. Uma para cada quatro pessoas não é cobrada a taxa de rolha.

Apesar da indicação de um Pinot Noir, acabamos escolhendo um Merlot chileno, Marques del Nevado, do Valle de Lontuê. Escolhida a garrafa, antes mesmo de dar tempo de cheirar a rolha fomos chamados: nossa mesa já estava pronta.

Antes de falar sobre as sopas, temos que comentar sobre a empanada de camarão que pegamos na mesa de antepastos. Nossa! Que empanada sensacional! Não percam essa oportunidade. Essa experiência me faz ter certeza que não vou perder o Festival de Frutos do Mar rs.

Voltando ao Rodízio de Sopas, o cardápio muda toda a semana, então fique atento e tente ir no dia em que os sabores mais lhe agradar. Nós pegamos as seguintes sopas: Creme de Palmito com Crispy de Bacon, Creme de Pera com Roquefort, Sopa de Frutos do Mar, Caldo de Mocotó, Sopa de Cebola e a tradicional Sopa de Cebola Gratinada.

Eu juro que tentei comer a sopa de cebola gratinada, mas, como não sou muito fã, confesso que não consegui. A maioria, claro, gosta. Ela é realmente bem feita. Basta gostar de cebola rs. Eu fiquei variando entre o Creme de Palmito com Crispy de Bacon e Creme de Pera com Roquefort. Estavam maravilhosas e foram as favoritas! A Sopa de Cebola é mais leve do que a gratinada. É uma boa pedida para começar. Se você gostar dessa, pode partir para a gratinada. Vou ficar devendo a análise da Sopa de Frutos do Mar e do Caldo de Mocotó, talvez um dia eu tome coragem para tal.

A mesa que acompanha as sopas deixou um pouco a desejar. Já fomos a outros rodízios mais simples que tinham acompanhamentos bem melhores e com muito mais opções. Eles se limitam a mussarela ralada, calabresa frita, alho frito, croutons (eu faço croutons melhores) e mais uns três itens que de tão irrelevante eu nem lembro quais eram.

Já o sabor das sopas são realmente inquestionáveis. São gostosas, espessas e muito bem feitas. Com certeza esse é ponto forte em paralelo a carta de vinhos (muito mais por causa dos preços do que pela variedade). Talvez pelo valor algumas pessoas podem achar que não vale a pena. Dá para entender se alguém tiver essa opinião. Mas com certeza vale a pena conhecer esse festival tradicional. Vá, tire suas próprias conclusões, e compartilhe-a conosco.

O Festival vai até dia 28 de agosto. O acesso é pelo portão 4 do Ceagesp – Av. Dr.Gastão Vidigal (altura do 1.946) – Vila Leopoldina – Zona Oeste – São Paulo (SP)

O CASAL

Ela gosta de vinhos mais leves. Ele gosta de beber até a garrafa acabar. Mas não foi sempre assim. O amor pelos vinhos cresceu na mesma velocidade que o amor que sentem um pelo outro. Ele era o garoto das cervejas artesanais e ela a garota das caipirinhas. O vinho só estava presente nos dias mais frios de inverno. Mas aí as coisas foram mudando. No meio do caminho, provaram novas uvas, experimentaram outras variedades, e aprenderam - um pouquinho - sobre como combinar a bebida com seus pratos favoritos. O casinho virou namoro, o namoro virou noivado, e o noivado virou casamento. O primeiro presente: uma adega e um quadro para rolhas: a paixão que desenvolveram pelo vinho estava estampada para todos os familiares e amigos. Agora, juntos, decidiram criar um novo projeto: Amor, Vinho, Amor. Sejam bem-vindos!

O PROJETO

O Amor Vinho Amor é um projeto de um casal apaixonado por vinhos e nasceu com um propósito: ser um espaço para falar sobre essa paixão de forma descomplicada e leve. Não somos especialistas e não temos pretensão de ser, mas amamos poder compartilhar as impressões que temos sobre essa bebida que tem tantas nuances especiais, sobre onde encontrá-las e algumas dicas de como harmonizá-las, mesmo acreditando que as melhores harmonizações são aquelas que fazem sentido e agradam cada um. O vinho para nós representa os momentos felizes, de amor, de troca. No Amor Vinho Amor trazemos as nossas experiências com o vinho, seja no nosso cantinho ou em qualquer cantinho desse mundo de possibilidades. 

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Amor, Vinho, Amor